bonus extras no seu e-mail

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Prof. Romario Guitar






    Na verdade, o que determina se o músico é um violonista clássico ou popular é o repertório (quais as músicas) que ele toca (existem músicos que tocam os dois tipo de música ao violão – logo, podem ser considerados violonistas popular E clássicos, ao mesmo tempo). Ou seja, para entender a diferença entre violão clássico e popular é preciso entender primeiro a diferença entre MÚSICA clássica e MÚSICA popular e como o violão se “encaixa” em cada um desses gêneros.

Violão Popular:
     Em geral, na música popular o violão faz o acompanhamento harmônico, ou seja, os acordes que acompanham a melodia principal da música e que é, em geral, tocada por outro instrumento. Na música popular, o violão pode ser tocado com palheta ou com os dedos; essa decisão depende exclusivamente do gosto e do objetivo do instrumentista.
Violão/Clássico/Erudito:
    Já na música clássica, o mais comum é o violão não ter a companhia de nenhum outro instrumento. Para isso damos o nome de violão solo. Como o violão precisa tocar duas coisas simultaneamente (melodia e acompanhamento), quase sempre o violonista precisa executar mais de uma corda ao mesmo tempo, com uma precisão e complexidade maior que na música popular. Por isso, é muito complicado executar este tipo de música usando palheta, e o mais comum é que os violonistas clássicos/eruditos usem apenas os dedos para tocar. Obviamente, nem sempre o violão está sozinho ao tocar músicas clássicas e existem casos em que ele faz apenas acompanhamentos. Mas, por uma questão de tradição, mesmo nesses momentos é incomum utilizar palheta.
    O interessante deste estilo é a grande quantidade de material de qualidade, qualquer música que você quiser pode ser achada sem erros, pode-se encontrar até os rascunhos originais (cópia ou digitalizado). Grandes expoentes desse estilo são Fernando Sor, Villa Lobos, etc. O violão usado nesse estilo é o violão clássico (nylon).